Curiosidade

Ensinar uma criança a dizer “Por favor”, “Bom dia”, “Obrigado(a)” é uma tarefa mais importante do que se imagina.

Nos dias atuais essas palavrinhas mágicas devem ser ensinadas para nossos filhos, isso se deve ao fato de que essas palavras podem lhes abrir portas, além disso quando ensinamos a importância dessas palavras estaremos incentivando o valor do respeito ao próximo.

A importância do “obrigado” ao abordar respeitosamente, o uso de “por favor” em nossas petições ou interações com as pessoas que nos cercam é um ato de grandeza e que carece ser transmitido para as crianças.

PUBLICIDADE

Descubra a importância de ensinar com consistência o valor do- “Por favor”, “Obrigado” e “Bom dia”.

Quando somos daquela geração em que deveríamos nos portar de maneira respeitosa para com todos é um privilégio, seremos um exemplo para nossos filhos e sobre tudo ensina-los a fortalecer os laços afetivos através do respeito ao outro.

Com certeza, o seu filho tem contato com os mais velhos, seja de forma mais direita (com avós, tios) ou de maneira mais geral, como vizinhos, pessoas na rua.

Por isso, é fundamental ensinar às crianças que os idosos precisam ser respeitados e, mais do que isso, amados, com diz Regina Célia Fonseca, professora de psicologia da Faculdade Pequeno Príncipe (PR).

Segundo a professora, há duas maneiras, complementares, de se fazer isso: pelo exemplo e pelo diálogo.

PUBLICIDADE

Passe para a abaixo para continuar lendo.

“É mais do que sabido que as crianças aprendem melhor, e mais fácil, observando o comportamento dos pais”, afirma Regina.

PUBLICIDADE

Com o exemplo, é que mostra para elas que o respeito aos mais velhos precisa estar embutido em ações do dia a dia.

“Não dá para o pai dizer que o filho tem que ser educado com todos se, na fila do banco, ele reclama que os mais velhos passam na frente”, explicou.

A segunda maneira, o diálogo, vem para ajudar a reforçar a prática. “É aí que os pais conseguem explicar para as crianças que a vida é um ciclo e que a velhice faz parte da condição do homem.”

O desenvolvimento moral das crianças

Como acontece com outras facetas do desenvolvimento, a moralidade não se forma independentemente das áreas anteriores que estivemos discutindo.

As experiências das crianças em casa, o ambiente ao redor delas e suas habilidades físicas, cognitivas, emocionais e sociais influenciam o desenvolvimento do senso de certo versus errado.

Sinal vermelho:Entre as idades de 2 e 5 anos, muitas crianças começam a apresentar crenças e comportamentos de base moral.

Crianças entre 5 e 6 anos

Crianças entre 5 e 6 anos geralmente pensam em termos de justiça distributiva, ou a ideia de que bens materiais ou “coisas” devem ser compartilhados de maneira justa. Em outras palavras, todos deveriam receber sua “parcela justa” exata.

Por exemplo, Joice pode pensar que só é justo se cada criança receber exatamente 2 biscoitos e a mesma quantidade de leite em seu copo. Outros fatores, como necessidade ou esforço, não são considerados. Joice não acharia que Rebeca deveria comprar um biscoito adicional porque seu almoço caiu no chão.

Crianças entre 6 e 7 anos

Por volta dos 6 ou 7 anos, as crianças começam a considerar o que as pessoas ganharam ou trabalharam ao pensar em justiça distributiva.

As crianças também podem argumentar que algumas pessoas deveriam receber mais porque trabalharam mais. Por exemplo, Beatriz começa a entender que o Caio deveria ganhar um prêmio maior porque vendeu mais biscoitos do projeto de caridade da escola.

Fonte: gracepointwellness.org
Mais Lidas de Curiosidade