Saúde

Você sabe o que são essas bolinhas fedidas que aparecem na garganta?

Sabe aquelas bolinhas esbranquiçadas que de vez em quando aparecem na garganta? Não estamos falando de placas de pus que podem surgir durante infecções mais sérias.

Como seria o caso de uma amigdalite, por exemplo, mas daquelas bolinhas pastosas e fedidas que se formam nas amígdalas e que geralmente são expelidas quando tossimos ou espirramos. Sabe quais?

PUBLICIDADE

Então! Essas bolinhas, caso você não saiba, também são conhecidas como cáseos amigdalianos, tonsilólitos ou caseum, e não são nada com o que você deva se preocupar.

De acordo com Alina Bradford, do site Live Science, basicamente, as bolinhas consistem em acúmulos benignos de restos de tecidos, alimentos e bactérias nas reentrâncias que existem nas amígdalas.

Por que elas aparecem?

Conforme explicamos em uma matéria anterior aqui no Diário Oculto, as amígdalas são aglomerados de tecido linfático que entram em ação quando inalamos ou engolimos agentes que podem causar doenças, ativando o sistema imunológico.

PUBLICIDADE

Além disso, essas estruturas funcionam como uma espécie de barreira de proteção que evita que partículas, fragmentos de comida e outros objetos viagem pelo sistema respiratório e cheguem aos pulmões.

Segundo Alina, com o passar do tempo, esses fragmentos todos, juntamente com células mortas e bactérias, vão se acumulando nas cavidades presentes nas amígdalas.

Então, o nosso organismo envia glóbulos brancos para atacar esses corpos estranhos, e quando essas células imunológicas terminar o “serviço”, o que fica para trás são partículas mais consistentes.

PUBLICIDADE

Na maioria das vezes, nós simplesmente engolimos esses “restos de batalha” — eca! — sem nem perceber.

Mas, se os fragmentos ficarem alojados nas reentrâncias das amígdalas (ou grutas), eles podem ir aumentando de tamanho até virarem as tais bolinhas fedidas.

Inquilinas indesejáveis

De acordo com Alina, os tonsilólitos são mais comuns em crianças e adolescentes, mas podem afetar pessoas de todas as idades.

Sua presença nas amígdalas pode causar um pouco de irritação e vermelhidão, e outro sintoma bastante comum é o mau hálito — resultado da ação das bactérias que se proliferam nas bolinhas.

Infelizmente não há muita coisa que possamos fazer para impedir que os tonsilólitos se formem, mas uma forma de ajudar a evitar que eles apareçam é manter uma boa higiene bucal.

Isto é, escovando os dentes após as refeições, passando fio dental diariamente e não se esquecendo de dar aquele trato na língua também para evitar a proliferação de bactérias!

Conforme mencionamos no início da matéria, os tonsilólitos geralmente são expelidos quando tossimos ou espirramos.

Entretanto, é possível removê-los com a ajuda de um cotonete, bastãozinho e, se você não morrer de náuseas, com a ajuda de uma escova de dente com cerdas bem macias.

Os gargarejos com enxaguantes bucais ou uma solução de água oxigenada diluída em água também pode ajudar a desalojar as bolinhas e, em casos muito — muito — extremos, um especialista pode sugerir a remoção das amígdalas.

Sinais e sintomas de pedras de amígdala

Dois sintomas comuns de pedras de amígdala são mau hálito e desconforto.

Esses sintomas, junto com a visão de manchas brancas na parte posterior da garganta, são o que geralmente leva as pessoas ao médico.

Levando ao diagnóstico de pedras de amígdala, diz Aaron Thatcher, MD, professor assistente do departamento de otorrinolaringologia – na Universidade de Michigan em Ann Arbor.

“Alguns pacientes podem ver manchas na boca e alguns podem ter dor de garganta ou dor crônica”, diz ele.

“Outros podem consultar um médico ou dentista por causa do mau hálito.” Também é possível que você não sinta nenhum sintoma. “As pedras da amígdala podem ser muito comuns”, diz o Dr. Thatcher.

“Mas, em algumas pessoas, eles podem ser pequenos e enterrados tão profundamente que talvez não os vejam.”

Esse é um dos motivos pelos quais os médicos acham que a condição é subestimada, observa Thatcher.

Alguns sintomas típicos de pedras de amígdala incluem:

-Mau hálito persistente
-Saliências do tamanho de cascalho amarelo pálido ou branco em suas amígdalas
-Dor de garganta
-Desconforto e sensação de algo preso no fundo da garganta
-Problemas para engolir
-Se você observar inchaço, inflamação, sangramento nas amígdalas, qualquer assimetria (se um lado for maior, parecer diferente do outro ou for mais dolorido).

Se você sentir dor de ouvido ou tiver dificuldade para engolir ou dor de garganta que dura por por mais de um mês, consulte seu médico, pois esses sintomas podem ser sinais de uma doença mais séria, como infecção de garganta, amigdalite

Fonte: everydayhealth.com

Mais Lidas de Saúde